A Beligerância Fronteiriça da China

NOVA DELI – Em anos recentes, o Exército de Libertação Popular (ELP) tem aproveitado a sua crescente influência política para provocar escaramuças e impasses localizados com a Índia, atravessando a longa e disputada fronteira entre os dois países, nos Himalaias. A recente intensificação destas violações fronteiriças por parte do ELP tem implicações importantes para a próxima visita do Presidente Xi Jinping à Índia – e para o futuro da relação bilateral.

Com efeito, tais provocações têm frequentemente antecedido as visitas dos líderes Chineses à Índia. Na verdade, foi logo antes da visita do Presidente Hu Jintao em 2006 que a China ressuscitou a sua pretensão ao grande estado de Arunachal Pradesh, no nordeste Indiano.

Do mesmo modo, antes da viagem do Primeiro-Ministro Wen Jiabao à Índia em 2010, a China começou a emitir vistos em folhas soltas de papel, agrafadas aos passaportes de residentes em Caxemira que solicitavam entrada na China – um desafio indirecto à soberania Indiana. Além disso, a China encurtou abruptamente o comprimento da sua fronteira com a Índia, ao recuar no seu reconhecimento da linha de 1597 quilómetros (992 milhas) que separa a Caxemira Indiana da Caxemira detida pela China. E a visita do Primeiro-Minsitro Li Keqiang em Maio passado seguiu-se a uma profunda incursão do ELP na região Indiana de Ladakh, aparentemente destinada a demonstrar a ira Chinesa provocada pelos esforços tardios da Índia de fortificação das suas defesas fronteiriças.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

Log in

http://prosyn.org/NL11bnz/pt;