Tributação Inteligente

ROMA – Uma política fiscal eficaz que garanta receitas internas adequadas é determinante para que um país tenha capacidade para levar a cabo políticas de desenvolvimento. Mas as receitas fiscais são pouco elevadas na maioria dos países em desenvolvimento, impedindo a evolução no sentido de um desenvolvimento económico mais equilibrado, inclusivo e sustentável, capaz de melhorar a saúde pública e aumentar os padrões de vida.

Embora as receitas não fiscais possam contribuir significativamente para o PIB total de alguns países, os valores médios do rácio impostos/PIB em países de baixos rendimentos e em países de rendimentos médios baixos são aproximadamente equivalentes a 15% e 19%, respectivamente - uma média significativamente inferior à da OCDE que ultrapassa os 35%. No sentido de financiar projectos de desenvolvimento, os países pobres e os países de rendimentos médios baixos deverão elaborar e implementar estratégias fiscais para aumentar as receitas internas.

Isto implica abandonar o dogma vigente de que os impostos só devem ser aumentados quando for absolutamente necessário. De acordo com esta perspectiva, as taxas de imposto mais baixas aumentam o rácio impostos/PIB, garantindo um melhor cumprimento das leis fiscais e favorecendo a tributação indirecta (como o imposto sobre o valor acrescentado), com o objectivo de alargar a base tributável para incluir os contribuintes cujos rendimentos são mais modestos.

To continue reading, please log in or enter your email address.

Registration is quick and easy and requires only your email address. If you already have an account with us, please log in. Or subscribe now for unlimited access.

required

Log in

http://prosyn.org/KDMHJPa/pt;