sachs340_ Yasin OzturkAnadolu AgencyGetty Images_USuighur Yasin Ozturk/Anadolu Agency/Getty Images

As alegações de genocídio de Xinjiang são injustificadas

NOVA YORK/LONDRES – O governo dos Estados Unidos, sem necessidade, intensificou sua retórica contra a China, alegando que um genocídio está sendo armado contra o povo uigur na região de Xinjiang. Uma tão grave acusação é importante, já que o genocídio é corretamente considerado "o crime dos crimes". Muitos especialistas agora estão pedindo um boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022 em Pequim, apelidando-os de “Jogos Olímpicos do Genocídio”.

A acusação de genocídio foi feita no último dia da administração de Donald Trump pelo então secretário de Estado Michael Pompeo, que não fez segredo de sua crença na mentira como ferramenta da política externa dos EUA. Agora, o governo do presidente Joe Biden se curvou diante da frágil alegação de Pompeo, embora os próprios advogados do Departamento de Estado compartilhem nosso ceticismo em relação à acusação.

Os Relatórios deste ano do Departamento de Estado sobre Práticas de Direitos Humanos (HRP) seguem Pompeo na acusação de genocídio à China em Xinjiang. Como o HRP nunca usa o termo além de uma vez no prefácio do relatório e novamente no sumário executivo do capítulo sobre a China, os leitores precisam adivinhar quais são as evidências. Grande parte do relatório trata de questões como liberdade de expressão, proteção de refugiados e eleições livres, que têm pouca relação com a acusação de genocídio.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

or

Register for FREE to access two premium articles per month.

Register

https://prosyn.org/SQX2VwMpt