galbraith7_Drew Angerer Getty Images_biden order Drew Angerer/Getty Images

A grande abertura de Biden

AUSTIN – Em um espaço de menos de três meses, eventos têm conspirado para transformar o cenário político americano. Primeiro, a pandemia de covid-19 derrotou Donald Trump – não porque a opinião pública neste país profundamente dividido tenha mudado, mas sim porque o vírus forçou a abertura dos portões do acesso às cédulas eleitorais. Graças à enorme disparada de votos enviados pelo correio, o comparecimento às eleições de 2020 superou o de 2016 em 20 milhões de votos, além de representar uma parcela maior do que qualquer outra eleição presidencial desde 1900.

Segundo, graças a dez anos de organização local por ativistas de direito ao voto liderados por Stacey Abrams, a Georgia trocou seus dois senadores republicanos por democratas no segundo turno da eleição de 5 de janeiro, dando assim um controle apertado do Senado americano ao Partido Democrata do presidente Joe Biden.

Por fim, Trump e alguns de seus colegas republicanos incentivaram uma turba a pilhar o Capitólio americano. Este catastrófico erro de cálculo político resultou na morte de cinco pessoas (inclusive um policial), no segundo impeachment de Trump, e na desgraça permanente dos candidatos mais que mais agressivamente investiram em suceder o presidente derrotado, os senadores Josh Hawley (Missouri) e Ted Cruz (Texas).

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading and receive unfettered access to all content, subscribe now.

Subscribe

or

Unlock additional commentaries for FREE by registering.

Register

https://prosyn.org/HS6DbqVpt