Promover o investimento em infra-estruturas

WASHINGTON, DC – Consideremos uma estatística simples. Todos os meses, no mundo em desenvolvimento, mais de cinco milhões de pessoas migram para áreas urbanas onde os empregos, as escolas e as oportunidades de todos os géneros são mais fáceis de encontrar. Porém, quando as pessoas migram, levam consigo a necessidade de serviços básicos - como a água, a energia e os transportes - fazendo sobressair o aumento da procura em matéria de infra-estruturas.

Esta realidade é evidente, do Quénia a Kiribati - e onde quer que a rápida urbanização, a necessidade de apoiar o comércio e o empreendedorismo e os esforços para enfrentar os desafios das alterações climáticas tenham posto em evidência o elevado défice de infra-estruturas. Além disso, trata-se de um défice que aflige igualmente as economias avançadas.

Simplificando, a construção de infra-estruturas e a modernização a nível mundial têm de fazer parte de uma estratégia para o desenvolvimento global a longo prazo. É por isso que os Ministros das Finanças do G20, na sua primeira reunião deste ano, realizada em Sydney, na Austrália, apontaram o investimento em infra-estruturas como um dos elementos vitais para assegurar uma recuperação forte, sustentável e equilibrada.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles from our archive every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/k2AYBHg/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.