0

Nova Esperança para o Haiti

NOVA IORQUE – Durante uma recente visita à comunidade rural de Los Palmas, no Haiti, tive a oportunidade de conversar com as famílias directamente afectadas pela epidemia de cólera que aflige o país desde o sismo de 2010. Um homem explicou que a doença, não só tinha vitimado a sua irmã, como também a sua sogra, que veio a falecer na sequência de ter caminhado durante horas para chegar ao hospital mais próximo. Juntamente com a esposa, este homem tem agora a seu cargo cinco sobrinhos órfãos.

Nos dias de hoje, histórias como esta são comuns no Haiti. Na verdade, milhares de pessoas de todo o país sofreram provações e tragédias semelhantes.

Contudo, existem também sinais de esperança. O aumento da participação da comunidade e as mudanças nos hábitos de higiene contribuíram para livrar da cólera as mulheres, os homens e as crianças de Los Palmas e da aldeia vizinha de Jacob (uma inversão drástica em relação aos últimos anos) e reduzir o risco de contracção de outras doenças transmitidas por águas impróprias. Uma das famílias que conheci, por exemplo, mostrou-me orgulhosa um novo filtro de água.

Este tipo de abordagem por parte da comunidade será fundamental para o sucesso da campanha de saneamento total que eu e o Primeiro-Ministro haitiano, Laurent Lamothe, lançámos em Los Palmas, durante a minha visita. A iniciativa contribuirá para melhorar as condições de saúde de três milhões de pessoas em áreas de risco elevado durante os próximos cinco anos através de incentivos ao investimento das famílias em latrinas higiénicas duradouras, da oferta produtos e serviços melhores em matéria de saneamento a preços acessíveis e da garantia de que as escolas e os centros de saúde dispõem de água e infra‑estruturas de saneamento adequadas. Pouco antes de deixar a aldeia, assentámos a primeira pedra simbólica de uma nova fonte de água segura.