A Opção de Marrocos

RABAT – Três anos após as revoluções da Primavera Árabe, o mundo democrático parece mais confuso do que nunca sobre a forma de reagir. O Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, relançou esforços de mediação norte-americana no Médio Oriente, num momento em que os parceiros mais confiáveis do seu país estão antagonizados: Os governantes militares do Egipto não vêem com bons olhos o apoio inicial do Ocidente à Irmandade Muçulmana de Mohamed Morsi durante o seu mandato presidencial e a Arábia Saudita receia que o Irão possa vir a tornar-se uma hegemonia regional ainda mais ambiciosa, se encetar negociações com os EUA.

Foi perante este cenário que o Rei de Marrocos, Mohammed VI, convocou recentemente uma reunião de alto nível do Comité Al Quds, a que preside. A cimeira de dois dias contou com a presença do presidente da Autoridade Palestiniana, de membros de alto nível do corpo diplomático dos países envolvidos no processo de paz entre a Palestina e Israel e do secretário-geral da Organização de Cooperação Islâmica. Realizando-se num momento que é crítico para esta sensível região, a reunião constituiu um esforço no sentido de contribuir para as novas negociações e desenvolveu os esforços de Kerry para reavivar o processo de paz.

Marrocos é um cenário ideal em termos de diplomacia regional. A sua estratégia de reforma gradual, a modernização da economia e o desenvolvimento social transformaram o país num oásis de estabilidade numa região repleta de violência e de rivalidades estratégicas - e, consequentemente, num parceiro confiável para a Europa e para os Estados Unidos, que procuram influenciar os acontecimentos no Norte de África e em todo o Médio Oriente. Com efeito, a proximidade de Marrocos com a Europa faz do país uma porta de entrada para África e o seu potencial económico e geopolítico ainda não foi avaliado.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/JGeMnBu/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.