Japanese Prime Minister Shinzo Abe poses with members of his cabinet TOSHIFUMI KITAMURA/AFP/Getty Images

O imperativo da paridade de género na Ásia-Pacífico

SINGAPURA/MUMBAI –A igualdade de género oferece uma considerável oportunidade económica a qualquer país. Um governo que espera atingir um crescimento sólido sem aproveitar todo o potencial das mulheres, está basicamente a lutar com uma mão atada atrás das costas.

Na verdade, uma nova pesquisa do McKinsey Global Institute (MGI) constata que as economias da Ásia-Pacífico poderiam aumentar o seu PIB coletivo até 4,5 biliões de dólares por ano, até 2025, se apenas acelerassem o progresso em relação à igualdade de género. Isso seria o equivalente a adicionar uma economia do tamanho dos países da Alemanha e da Áustria, juntos, todos os anos. A oportunidade é especialmente considerável para a Índia, onde o PIB cresceria até 18%.

A igualdade de género contribui para o crescimento de três formas. De acordo com o MGI, 58% dos ganhos da região da Ásia-Pacífico seriam provenientes do aumento do rácio mulher/homem na participação no mercado de trabalho, 17% do aumento das horas de trabalho das mulheres e os restantes 25% da existência de mais mulheres a trabalhar em setores de maior produtividade.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles from our archive every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/fCaSbii/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.