Dog California Drought Jeremy Woodhouse/Getty Images

Para onde foi toda a água?

MANILA – Vivemos num planeta ressequido. Os agricultores cultivam pastagens áridas e os governantes preocupam-se com as barragens vazias, os rios secos e as cidades sedentas de água. E isso apenas arranha a superfície – literalmente – do problema de água que há no mundo. Os aquíferos subterrâneos, que equivalem aos reservatórios de água mundiais, também estão a ficar secos. Se isto continuar, as consequências podem ser terríveis, especialmente para a Ásia onde a água é escassa e o crescimento é rápido.

Os aquíferos subterrâneos são repositórios de água localizados no subsolo profundo, em rocha permeável, solo ou areia. E eles contêm cerca de 100 vezes mais a quantidade de água encontrada na superfície da terra, em riachos, lagos, rios e pântanos. Se estiver na África Central, na América do Sul ou em algumas partes da Europa, provavelmente estará apenas algumas centenas de metros acima de um.

Os recursos hídricos superficiais, tais como a água do mar dessalinizada ou as águas residuais recicladas, não irão colmatar o fosso mundial – previsto chegar aos 40% até 2030 – entre a oferta e a procura de água. Os aquíferos subterrâneos estão cada vez mais a ser explorados para a agricultura, geração de energia e utilização diária em cidades com rápido crescimento (a Ásia urbana está a crescer a um ritmo de 120 mil pessoas por dia).

To continue reading, please log in or enter your email address.

Registration is quick and easy and requires only your email address. If you already have an account with us, please log in. Or subscribe now for unlimited access.

required

Log in

http://prosyn.org/nP1BHBB/pt;

Handpicked to read next