Angela Merkel closeup Reynaldo Paganelli/ZumaPress

Em defesa de Angela Merkel

PARIS – A recente capa da revista Der Spiegel que mostra a chanceler alemã, Angela Merkel, à frente da Acrópole rodeada por oficiais nazis tem um importante objectivo: levanta finalmente, de uma forma que não pode ser contornada, a questão da germanofobia na Europa.

O abuso da Alemanha arrasta-se há algum tempo. Manifestações no Chipre, em Março de 2013, incluíam faixas com caricaturas de Merkel como se se tratasse de Adolf Hitler. Em Valência, sensivelmente na mesma altura, por ocasião da celebração anual de Las Fallas, ali estava Merkel no papel de uma directora malvada a distribuir ao chefe do governo espanhol e aos seus ministros “Os dez mandamentos de Angela, a Exterminadora”. Ela acabou por ser queimada como os restantes bonecos nas chamas das fogueiras de S. José.

Dois meses depois, em Portugal, desfiles semelhantes caracterizaram as mesmas caricaturas de Merkel “Hitlerizada”, sustentadas por manifestantes barulhentos trajados de preto (sinal de luto) e condenando a “política de massacrar os pobres” da líder alemã.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/D6u1Q3k/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.