Frédéric Soltan

Eliminar a lacuna de apatia dos jovens

NAIROBI –quando os países-membros das Nações Unidas adotaram os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável, há dois anos, assumiram o compromisso de reduzirem substancialmente a proporção de jovens sem emprego, educação ou formação. Esse compromisso será praticamente impossível de cumprir, a menos que a participação política dos jovens aumente consideravelmente.

Os jovens são fundamentais para o progresso. Tal como, na altura, o presidente dos EUA, Barack Obama mencionou num discurso, em 2015, em Nairobi, nenhum país consegue alcançar o seu total potencial, a menos que tire partido do talento de toda a sua população. E os jovens constituem, agora, uma grande percentagem dessa população –18% da população mundial, para ser mais preciso. A percentagem é ainda maior em grande parte do mundo em vias de desenvolvimento. A idade média da população de África é de apenas 19,5 anos.

Dado o número existente, para não falar do aumento das taxas de educação e de alfabetização, os jovens podem mudar o mundo, moldar o discurso político e os resultados eleitorais. Mas isso exige que estejam envolvidos e ativos.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles from our archive every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/JH1wsxC/pt;

Handpicked to read next

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.