Skip to main content

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated Cookie policy, Privacy policy and Terms & Conditions

ashong1_PortraGettyImages_emptybusinessmeetingchairs Portra/Getty Images

Levar as mulheres africanas aos conselhos de administração

EBENE, MAURÍCIA – Em 2050, um quarto da população mundial será africana, o que significa que uma em cada oito pessoas será uma mulher africana. Porém, no continente, sem falar do resto do mundo, às mulheres de África falta a influência sobre a economia que os seus números poderiam sugerir. Este desfasamento tem várias implicações adversas para as perspectivas de África. Com efeito, a única maneira de aproveitar todo o potencial de África consiste em melhorar drasticamente a representação das mulheres no local de trabalho, nomeadamente em funções executivas de destaque.

A contribuição que as mulheres podem trazer ao futuro de África deveria ser óbvia. Por todo o mundo, os gastos dos consumidores – que crescem três vezes mais depressa nos mercados emergentes que nas economias desenvolvidas – são principalmente controlados por mulheres. Isto implica um poderoso incentivo para as empresas incluírem mais mulheres nos seus processos de tomada de decisão.

Contudo, mesmo com o aumento do número de mulheres nos conselhos de administração de empresas globais, a evolução é lenta, e as mulheres africanas têm sido deixadas à parte – com notáveis excepções, como Ngozi Okonjo-Iweala, antiga ministra das finanças da Nigéria e directora executiva do Banco Mundial, que foi nomeada para o conselho da Twitter no ano passado, sem dúvida devido à crescente popularidade da plataforma em África. Mas o caso de Okonjo-Iweala é atípico; poucas mulheres africanas ocupam posições tão influentes nas corporações globais.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

Get unlimited access to PS premium content, including in-depth commentaries, book reviews, exclusive interviews, On Point, the Big Picture, the PS Archive, and our annual year-ahead magazine.

https://prosyn.org/0YK6CKzpt;
  1. solana114_FADEL SENNAAFP via Getty Images_libyaprotestflag Fadel Senna/AFP via Getty Images

    Relieving Libya’s Agony

    Javier Solana

    The credibility of all external actors in the Libyan conflict is now at stake. The main domestic players will lower their maximalist pretensions only when their foreign supporters do the same, ending hypocrisy once and for all and making a sincere effort to find room for consensus.

    3

Edit Newsletter Preferences