Auto assembly line at the industrial town Thika of Nairobi Andrew Wasike/Anadolu Agency/Getty Images

Capturar os retornos elevados de África

WASHINGTON, DC –Desde o ano 2000, pelo menos metade das economias mundiais em rápido crescimento tem estado situada em África. E até 2030, a África vai ser o lar de 1,7 mil milhões de pessoas, cuja combinação entre o consumo e os gastos das empresas totalizará 6,7 biliões de dólares.

Há sete anos, a publicação Harvard Business Reviewsalientou que a África é também o lar de muitas das grandes oportunidades mundiais. E ainda assim, apesar do enorme potencial empresarial, África não tem aparecido como assunto prioritário nas agendas dos líderes empresariais ocidentais.

Na verdade, entre 2014 e 2016, as exportações dos EUA para África caíram quase para metade, passando dos 38 mil milhões de dólares para os 22 mil milhões de dólares. E embora os investimentos do Reino Unido no continente tenham mais que duplicado, entre 2005 e 2014, atingindo os 42,5 mil milhões de libras (57,6 mil milhões de dólares), apenas 2,5% do total das suas exportações são para África.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/b4hRF52/pt;

Handpicked to read next

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.