Auto assembly line at the industrial town Thika of Nairobi Andrew Wasike/Anadolu Agency/Getty Images

Capturar os retornos elevados de África

WASHINGTON, DC –Desde o ano 2000, pelo menos metade das economias mundiais em rápido crescimento tem estado situada em África. E até 2030, a África vai ser o lar de 1,7 mil milhões de pessoas, cuja combinação entre o consumo e os gastos das empresas totalizará 6,7 biliões de dólares.

Há sete anos, a publicação Harvard Business Reviewsalientou que a África é também o lar de muitas das grandes oportunidades mundiais. E ainda assim, apesar do enorme potencial empresarial, África não tem aparecido como assunto prioritário nas agendas dos líderes empresariais ocidentais.

Na verdade, entre 2014 e 2016, as exportações dos EUA para África caíram quase para metade, passando dos 38 mil milhões de dólares para os 22 mil milhões de dólares. E embora os investimentos do Reino Unido no continente tenham mais que duplicado, entre 2005 e 2014, atingindo os 42,5 mil milhões de libras (57,6 mil milhões de dólares), apenas 2,5% do total das suas exportações são para África.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

Get unlimited access to PS premium content, including in-depth commentaries, book reviews, exclusive interviews, On Point, the Big Picture, the PS Archive, and our annual year-ahead magazine.

http://prosyn.org/b4hRF52/pt;

Handpicked to read next

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.