People participate in the 48-hour 'hackathon' event  ISSOUF SANOGO/AFP/Getty Images

A via alternativa de África para o desenvolvimento

WASHINGTON, DC – Previsões recentes indicam que vários países da África Subsaariana terão um crescimento económico robusto durante os próximos cinco anos. Em 2023, quase um terço das economias da região terão crescido a uma taxa anual média de 5% ou superior desde 2000.

Contudo, como notou o The Economist no ano passado, o modelo de desenvolvimento de África “confunde os economistas”. Afinal, só quatro dos países de elevado crescimento no continente dependem de recursos naturais. Nem o desempenho global se deve principalmente à industrialização, como preveriam os modelos tradicionais de desenvolvimento. Como se explica então o bom desempenho económico?

Novas investigações realizadas pela Iniciativa para o Crescimento de África da Brookings Institution e pelo Instituto de Investigação Internacional para o Desenvolvimento Económico da Universidade das Nações Unidas (UNU-WIDER) talvez consigam responder a esta questão. De acordo com o próximo livro Indústrias sem Chaminés: Repensar a Industrialização de África, existem provas que sugerem que a África Subsaariana está a sofrer uma transformação estrutural mais profunda do que pensamos.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

Get unlimited access to PS premium content, including in-depth commentaries, book reviews, exclusive interviews, On Point, the Big Picture, the PS Archive, and our annual year-ahead magazine.

http://prosyn.org/TlLkHEM/pt;

Handpicked to read next

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.