Children attend school in Ghana Christian Science Monitor/Getty Images

A escolarização sem aprendizagem de África

ACRA – No início do ano lectivo, em Setembro, houve boas notícias para perto de meio milhão de alunos que iniciaram o ensino secundário no Gana: o Presidente Nana Akufo-Addo cumpria a sua promessa eleitoral de ensino secundário gratuito para todas as crianças do país. Jurara não apenas acabar com as taxas de matrícula, mas também fornecer manuais e refeições gratuitas, já que estes custos representavam frequentemente um obstáculo para os estudantes mais pobres.

O Gana introduziu o ensino obrigatório gratuito nos níveis primário e secundário em 1995, mas a sua implementação tem sido penosamente lenta, e os sonhos de instrução dos alunos eram frequentemente interrompidos antes de chegarem ao liceu. Mesmo em 2014, só 37% dos alunos do país estavam matriculados no ensino secundário, devido aos elevados custos. A decisão do presidente é, por isso, um exemplo inspirador a seguir pelos vizinhos do Gana.

Infelizmente, e apesar de reformas progressistas como esta, alunos por toda a África enfrentam ainda outras barreiras difíceis no caminho para uma educação verdadeiramente abrangente. No Gana, por exemplo, é improvável que as crianças pobres e de zonas rurais colham todos os benefícios do seu recente acesso ao ensino secundário.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To continue reading, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you are agreeing to our Terms and Conditions.

Log in

http://prosyn.org/RS0qQAJ/pt;

Handpicked to read next

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.