okonjoiweala10_PAMELA TULIZOAFP via Getty Images_drcebolavaccine Pamela Tulizo/AFP via Getty Images

Lições do Ébola para combater a COVID-19

CAMBRIDGE – No dia 12 de abril, a República Democrática do Congo (RDC) assinalará 42 dias desde que a última pessoa que acusou positivo para o Ébola recebeu alta do hospital.

A data é um marco significativo. Refere-se ao dobro do período máximo de incubação – 21 dias – do vírus, que é a forma como a Organização Mundial da Saúde estipula quando um surto termina. Se tudo correr bem, será uma reviravolta notável para a RDC e um testemunho da bravura e dedicação dos profissionais de saúde, alguns dos quais perderam a vida a tratar os doentes.

O sucesso da RDC no combate ao Ébola foi ofuscado pelo facto de que, durante essa luta, morreram aproximadamente duas vezes mais pessoas de um surto evitável de sarampo. Uma lição essencial para os governantes que se debatem com a maior crise de saúde mundial dos últimos cem anos é que eles devem fazer tudo o que estiver ao seu alcance para impedir que os sistemas de saúde sobrecarregados lutem contra duas epidemias em simultâneo.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

or

Register for FREE to access two premium articles per month.

Register

https://prosyn.org/Loaslq6pt