12

Os Perigos da Profecia

BERKELEY – Nós, economistas ancorados na história económica e financeira, – e conscientes da história do pensamento económico relativo às crises financeiras e aos seus efeitos – temos motivos para estar orgulhosos das nossas análises nos últimos cinco anos. Entendemos para onde nos estávamos a dirigir, porque sabíamos onde tínhamos estado.

Em particular, entendemos que a subida rápida dos preços das casas, combinada com a extensão da alavancagem financeira, colocava perigos macroeconómicos. Reconhecemos que perdas provocadas pela especulação em activos detidos por instituições financeiras alavancadas causariam um voo de pânico para a segurança, e que a prevenção de uma depressão profunda requereria uma intervenção activa das entidades oficiais como prestamistas de último recurso.